Menu de páginas
TwitterFacebook
Menu de categorias

Mitos e Verdades sobre o Câncer

Fizemos uma compilação com as dúvidas frequentes dos hóspedes da Casa em relação ao câncer e suas respectivas respostas, todas esclarecidas pelos oncologistas.

Se você tem alguma dúvida que não foi esclarecida, envie-nos  através do nosso contato que encaminharemos aos médicos.

Rancores, angústias e ressentimentos podem causar câncer?

Não existem evidências que os sentimentos de rancor ou ressentimentos possam causar o câncer. Entretanto, os pacientes que são mais angustiados apresentam maior toxicidade ao tratamento (quimioterapia ou radioterapia). 

Quem doa órgãos corre risco de vida?

 Depende do caso. Ao doar uma parte de órgão, como o caso do fígado (transplante intervivos), o doador pode ficar com insuficiência hepática por um período (semanas) até que haja a recuperação funcional do órgão. No caso de transplante renal atualmente é feito somente em cadáveres. No transplante de medula óssea o doador é submetido a uma anestesia geral e pode ter reação alérgica ao anestésico. Precisamos entender caso a caso. 

Existe pré-disposição para ter câncer?

 Na atualidade foram descobertos genes que podem transmitir o câncer entre membros da mesma família. O mais conhecido, por ter sido relatado por uma atriz famosa são os genes do câncer de mama e ovário (BRCA 1 e 2), além disso, temos os genes TP53 da síndrome de Li-Fraumeni (associados ao osteossarcoma, câncer de mama e tumores cerebrais); o gen PTEN da síndrome de Cowden (associado a câncer de mama, tireoide e polipod gastrointestinais); os genes hMLH1, hMSH2, hMSH6, hPMS1 e hPMS2 da Sìndrome de Lynch (associado ao câncer de colon hereditário); o gen MEN1 da neoplasia endócrina múltipla (associada a tumores endócrinos e carcinoides) e o gen Rb do retinoblastoma. Portanto, existem diversos genes associados a predisposição genética para o câncer.  

É verdade que o diagnóstico precoce permite cura de até 75% nos casos câncer infantil?

 Sim, as leucemias linfoides agudas, por exemplo, quando diagnosticadas precocemente permitem a cura em mais de 75% das vezes. 

Outras doenças comuns, se forem mal tratadas, pode se transformar em câncer?

 Não, o câncer provem de um célula clonal alterada. Portanto, precisa ocorrer uma série de alterações na célula para ela se tornar neoplásica. As doenças comuns, como gripe forte, por exemplo, não levam ao câncer. 

Ingestão excessiva de alimentos industrializados ou carne pode causar câncer?

Não existem evidências médicas de que os alimentos industrializados ou carne possam causar o câncer.

Por que em alguns casos é necessário amputar membros inteiros?

Usarei como exemplo a amputação de uma perna, e tumor diagnosticado no dedo do pé:  Para este caso entendemos que os linfonodos (sistema de drenagem da linfa) estavam comprometidos pelo tumor, e portanto não adiantou retirar apenas o dedo, pois o câncer havia se espalhado para outras regiões. Caso o membro não fosse amputado, o câncer poderia retornar depois de alguns meses. Porém reforço que cada caso é um caso diferente, com suas complicações e tratamentos possíveis. 

Um trauma forte mas comum do dia a dia, um tombo, uma batida da cabeça na mesa, pode se transformar num câncer?

 Não, o trauma pode apenas levar a um processo inflamatório na região comprometida, com dor e vermelhidão. Entretanto, para ocorrer o câncer há necessidade de alterações somáticas (mutações) nas células para que elas se tornem cancerosas. 

Relação sexual sem prevenção pode causar câncer?

 Sim, o vírus HPV (papiloma vírus) é transmitido por contato de mucosas sem proteção e pode levar ao câncer de colo de útero na mulher e ao câncer cervical no homem. 

Quem se trata com radioterapia sente menos desconforto do que com quimioterapia?

Como a radioterapia é feita lentamente por várias sessões, o paciente sente a toxicidade de maneira progressiva e tolera melhor o tratamento que a quimioterapia. Esta induz a náuseas e vômitos por ser administrada agudamente, geralmente em um dia ou repetido após uma semana. Nesta situação os efeitos tóxicos da quimioterapia são sentidos mais precocemente. 

Todo mundo que se trata do câncer fica careca?

 Não, atualmente existem diversas drogas que não levam a alopecia (ficar careca). Essas drogas são chamadas de terapias-alvo e não levam a destruição do folículo, que é causa da queda dos cabelos na quimioterapia convencional. A principal droga que leva a alopecia  é chamada de antraciclina (doxorrubicina). 

Dá pra perceber quando a criança está desenvolvendo um câncer?

Os sintomas mais comuns em crianças com leucemia, que é o câncer mais frequente, são fraqueza, indisposição, febre e mal estar. Estes sintomas são frequentes nas gripes e resfriados e, portanto, fica difícil o diagnóstico diferencial. No retinoblastoma (tumor de olho) as crianças costumam ter distúrbios visuais. Veja abaixo algumas das formas de se ficar atentos aos sinais. 
Sintomas_F_CancerInfantoJuvenil